JCB celebra Eurico Solanés » Jockey Club Brasileiro - Turfe

JCB celebra Eurico Solanés

SolanesEurico Solanés – na foto com Courageuse – fez seu campo criatório em 1972, na estrada Rio-Bahia e, segundo seu filho, Gilberto Solanés, o tordilho Nagami (St.Ives e Naide, por Waldmeister), que conquistou quatro vitórias no Hipódromo da Gávea, com destaque para os GGPPs Jockey Club Brasileiro (G1) e Conde de Herzberg (G2) e finalizou em terceiro nos GGPPs Estado do Rio de Janeiro e Cruzeiro do Sul, ambos de G1 e integrantes da Tríplice Coroa carioca, foi o melhor animal criado por seu pai.

Como proprietário, as cores verde e preto em listas horizontais de Eurico Solanés tiveram alguns defensores de alto nível com destaque absoluto para a bela craque Courageuse (Cranach e Fidgety Night, por Turkhan), – outra homenageada da semana no JCB – criação do Haras São Bernardo, campeã dos GGPPs Henrique Possolo, Diana, Cruzeiro do Sul, José Guatemozin Nogueira e Marciano de Aguiar Moreira, e depois para a bela Clareira (Cadir em Caçamba, por Selim Hassam), criação do Haras Vargem Alegre, vencedora, entre outras  provas, dos  GGPPs Francisco Vilella de Paula Machado, Cordeiro da Graça, Jockey Club do Rio de Janeiro, Duque de Caxias  e, segunda, para Escorial, no GP Outono, terceira no GP Henrique Possollo e quarta no GP Diana, depois notável reprodutora nos Haras São José e Expedictus, apenas para citar dois nomes nacionais, entre os muitos bons corredores que as defenderam (Espiche, arrendado, campeão do GP Brasil de 1958, Bakari, Ballenato, Claustro, Bold Boy, Blameless, Cleclara, Florentin, Umdo e Revolution, por exemplo).

2011 Gilberto SolanesEm 1993, o campo criatório transformou-se no Centro de Treinamento Verde e Preto, que até os dias de hoje apresenta ótimo resultado em nossas pistas. Com capacidade para 150 animais, a maioria deles lá alojados estão sob a responsabilidade do neto do homenageado, Roberto Solanés (à direta na foto), um dos bons treinadores do turfe carioca e que em pouquíssimo tempo de carreira já conquistou, entre outros, o GP Brasil (G1), em 2010, com Moryba, do Stud Correas, e o GP São Paulo (G1), com Universal Law (Haras Regina) e a estatística de treinadores da Temporada 2017/2018 no Rio de Janeiro.

Disputado desde 1996, o Clássico Eurico Solanés tem no hall de vencedores animais de qualidade, como, por exemplo, Redattore (Stud Grenoble) e Naraingang (Stud Quintella), que depois acabaram tornando-se ganhadores de Grupo 1.

Neste próximo domingo, 05 de julho, nove produtos de 3 anos e mais idade enfrentam-se nos 1.600 metros, na pista de grama.

São eles:

Ultimate Runner (Haras Mabruk); Olympic Icecream (Stud B L Regina); Grand Cru (Haras Valentin); Norgaard (Stud Red Rafa); Achaval Ferrer (Stud Lung Docs); Dark Bobby (Stud Stabile Quintella); Gone Hollywood (Stud Verde); Leviatan (Stud Happy Again); e Guaruman (Haras Planície).

da Redação, com assessoria da Gerência de Turfe

Fotos: Arquivo JCB, Gerson Martins & Sylvio Rondinelli

Gostou da notícia? Compartilhe!