Aconteceu – GP Presidente Vargas (G3) » Jockey Club Brasileiro - Turfe

Aconteceu – GP Presidente Vargas (G3)

Em percurso excepcional de Wesley da Silva Cardoso, sempre pelo menor caminho, Caribean conquistou a versão 2021 do GP Presidente Vargas (G3), carreira preparatória para a tradicional milha do GP Presidente da República (G1), prova que tradicionalmente antecede o GP Brasil (G1). O páreo, em 1.600 metros, grama, com dois metros de cerca móvel, foi uma das atrações da reunião do domingo, 18 de julho de 2021, no Hipódromo da Gávea.

Na hora da verdade, Olympicimpeachment entrou em primeiro, porém não parecia ter força para manter-se na posição até o espelho. Melhorando pela cerca interna, Caribean apresentava-se para a luta, assim como o G1 winner do campo (GP Juliano Martins – SP), Keep Koller. Os dois tomaram conta da situação e lutaram pelo triunfo até o espelho. O bom percurso fez a diferença e Caribean superou Keep Koller, dois anos mais novo e deslocando 6,5 kg a menos. Coração de Leão e Izzi Bizzi chegaram ao espelho com mais ação que os dois primeiros, mas não em tempo de mudar o resultado. Olympicimpeachment completou o placar.

Mandado à raia em excelente estado por Ildefonso Coelho Souza, que trabalha no CT Vale do Itajara, Caribean é um filho de Agnes Gold e Aquamarine, por Wild Event, criado pelo Haras Fronteira P.A.P. e defensor do Stud Best Friends. O ganhador parou os cronômetros em 1min33s77

CURIOSIDADES

*Um dos mais tradicionais do calendário clássico carioca, o Presidente Vargas é disputado desde 1938 no JCB;

*A prova já foi realizada em três distâncias diferentes:

– de 1938 a 2004 em 2.400 metros, grama

– de 2005 a 2009 em 1.900 metros, areia

– de 2010 até os dias de hoje, em 1.600 metros, grama

– Recordista de vitórias entre os treinadores do turfe carioca, Ernani de Freitas é o maior ganhador do “Presidente Vargas” com cinco triunfos, todos com animais da família Paula Machado:

Quati (foto – 1939 e 1940); Dorilla (1942); Tunis (1958) e Obelion (1974 e 1976)

Vale ressaltar a longevidade da eficiência do trabalho de Ernani de Freitas, que ganhou a carreira em 1939 pela primeira vez e 37 anos após, em 1976 conseguiu seu último triunfo. Sensacional!

*Juvenal Machado da Silva, um dos maiores jóqueis de todos os tempos, venceu seis edições do “Presidente Vargas”. A saber:

Zembro (Haras Santa Ana do Rio Grande – 1983 e 1984); Bat Masterson (Haras Santa Ana do Rio Grande – 1990); Implausible (Haras Las Brisas – 1991); e Murano (Haras Santa Ana do Rio Grande – 1996).

*Cinco ganhadores do GP Brasil venceram o “Presidente Vargas”, todos entre 1939 e 2004, quando a prova era na milha e meia:

Fenomenal (Brasil 1972 / Presidente Vargas 1972 e 1974);

Aporé (Brasil 1979 / Presidente Vargas 1980);

Carteziano (Brasil e Presidente Vargas ambos em 1988);

Villach King (Brasil 1991 e 1993 / Presidente Vargas 1993);

Potri Road ( foto – Brasil 2002 e a última edição do Presidente Vargas em 2.400 metros, no ano de 2004).

Veja os sete vencedores do GP Presidente Vargas antes de Caribean

2020 – Dark Bobby – C.Lavor/ Ad.Menegolo – Stud Stabile Quintella

2019 – Fillmore – W.Blandi/ R.Solanés – Black Opal Stud

2018 – Knowledge – M.S.Machado/ D.Lopes – Haras Nacional

2017 – High Chris – C.Lavor/ L.R.Feltran – Stud Quintella

2016 – Cosmopolitan – V.Borges/ D.Guignoni – Stud São José dos Bastiões

2015 – Meu Chuck – V.Borges/ D.Guignoni – Stud Don Antonio di Satriano

2014 – Big Wildcat – A.Mota/ T.Oliveira – Stud Escorial

por Fernando Lopes – fotos: Sylvio Rondinelli & Arquivo JCB

Gostou da notícia? Compartilhe!