Tanganyka, de ponta a ponta, impede a Tríplice Coroa de Mais Que Bonita » Jockey Club Brasileiro - Turfe

Tanganyka, de ponta a ponta, impede a Tríplice Coroa de Mais Que Bonita

Segunda colocada no Possolo e terceira no Diana, Tanganyka desta feita não deu chance às rivais e venceu a Terceira Etapa da Tríplice Coroa de Potrancas, o Grande Prêmio Zélia Gonzaga Peixoto de Castro (G1), impedindo Mais Que Bonita, a segunda colocada, de ser a sexta Tríplice Coroada do turfe carioca. A carreira, em 2.400 metros, grama macia, foi uma das atrações da jornada deste domingo, 07 de junho, no Hipódromo da Gávea.

Bruno Queiroz colocou um ponto de exclamação em sua temporada. Líder com folga da estatística de jóqueis e mostrando uma maturidade enorme, o jovem piloto conquistou o 1º G1 de sua carreira, numa direção impecável, em que fez o train ao seu gosto e na reta não deixou as rivais aproximarem-se. A família Queiroz está em justa e merecida festa.

Cosme Morgado Neto e Carlos dos Santos já conheciam o gosto de brilharem juntos em uma etapa da Coroa, com a vitória de Taksim no GP Francisco Eduardo de Paula Machado (G1), em 2019, e deram repique, agora com a ótima Tanganyka. Cosminho está de parabéns, pela forma que manteve Tanganyka, mesmo com uma pandemia entre o Diana e o dia de hoje. Perfeito.

Tanganyka fez da carreira um monólogo. Largou, mandou na prova desde a largada com dois, três corpos sobre suas rivais. Pouco antes do começo da grande curva, Valdinei Gil e Henderson Fernandes, jóqueis das favoritas Helquis e Mais Que Bonita, viram que a encrenca era grande na frente e adiantaram o train de carreira, diminuindo a vantagem da ponteira.

Na reta, com Tanganyka inteira na dianteira, Helquis e Mais Que Bonita tentavam aproximar-se. Porém, com reservas, Tanganyka abriu luz para o espelho, em triunfo maiúsculo. Mais Que Bonita caiu de pé, perdeu a Tríplice Coroa, mas finalizou em segundo, mostrando sua classe. North Bound veio de longe para tomar o terceiro de Helquis. Olympic Dust fechou o placar remunerado.  

Preparada no CT Vale da Boa Esperança, em Itaipava, pelo ótimo Cosme Morgado Neto, Tanganyka é uma 3 anos, filha de Mindshipman e Tasmania, por Romarin de criação e propriedade para o turfman Carlos dos Santos. Na sua terceira vitória, a primeira nobre, e logo de G1, Tanganyka percorreu a milha e meia em 2min27s97.

VEJA A GALERIA DE IMAGENS DO GP ZÉLIA GONZAGA PEIXOTO DE CASTRO (G1)

por Fernando Lopes – fotos: Sylvio Rondinelli

Gostou da notícia? Compartilhe!