Abu Dhabi e a glória eterna do Derby Brasileiro » Jockey Club Brasileiro - Turfe

Abu Dhabi e a glória eterna do Derby Brasileiro

Potro tido em altíssima conta desde as primeiras saídas, Abu Dhabi teve seu batismo nobre logo na maior carreira para os animais de 3 anos, o Grande Prêmio Cruzeiro do Sul (G1), o Derby Brasileiro. A prova, a Terceira da Tríplice Coroa de Produtos, foi realizada em 2.400 metros, grama macia, e um dos destaques da ótima reunião deste domingo, 07 de junho, no Hipódromo da Gávea.

Ter um cavalo com chance de correr o Derby já é difícil, quatro então, como Ronaldo Marins Lima é fato inédito. Profissional dos mais capacitados, Ronaldo perdeu o sono, como ele próprio disse em entrevista a Juliana Dias, mas fez um serviço de acordo com a sua competência. Abu Dhabi passou na frente com He’s Gold e Hummer chegando em segundo e terceiro. Sensacional, melhor até que em 2017, quando Emperor Roderic e Enólogo, ambos treinados por Ronaldo, fizeram 1º e 4º no Derby Brasileiro.

Valdinei Gil emplacou seu terceiro Derby de forma cirúrgica, com direção precisa em Abu Dhabi, que correu no fundo do lote e atropelou na hora exata para ser o primeiro no espelho. Vale lembrar que, anteriormente, Valdinei Gil levantou o Derby com Daffy Girl (2016) e Olympic Hanoi (2018).

O Stud Rio Dois Irmãos (criador) e o Haras das Estrelas (proprietário) entraram para o seleto grupo de criadores e proprietários com um Derby Brasileiro conquistado por um animal de sua criação e propriedade. Justo prêmio para dois grandes do turfe nacional.

O ganhador Abu Dhabi acompanhou a prova sempre entre os últimos colocados, juntamente com Notável e He’s Gold. O ritmo era puxado pelo voluntarioso Komka com Bien Sureño, Coração Sureño, Hector Gold, Capitão Barbosa, Hummer e Olympic Jhonsnow na sequência.

Na hora da verdade, Bien Sureño e Coração Sureño partiram para cima de Komka. Hummer melhorava francamente pelo meio de pista. Aberto, Abu Dhabi ia passando um a um dos seus rivais e sobrou somente Hummer, que o havia derrotado recentemente. Porém, hoje a carreira era em 2.400 metros. Na tocada certeira de Valdinei Gil, Abu Dhabi dominou a situação para conquistar importante e belo triunfo. He’s Gold veio das últimas posições e chegou ao espelho com mais ação que Abu Dhabi, mas não em tempo de superar o adversário e companheiro de CT. Hummer finalizou em terceiro, com Notável em quarto. Capitão Barbosa finalizou em quinto.

Preparado no CT Vale da Boa Esperança pelo craque Ronaldo Marins Lima, Abu Dhabi é um 3 anos, filho de Agnes Gold (pai também de He’s Gold, o segundo colocado e de Mais Que Bonita, segunda no Zélia) e Fugazi, por Crimson Tide, criado pelo Stud Rio Dois Irmãos e de propriedade para o Haras das Estrelas. Na sua terceira vitória, a primeira nobre e logo no Derby Brasileiro, Abu Dhabi cobriu a distância em 2min26s82 (marca 1s15/100 melhor que a marca assinalada por Tanganyka na disputa das fêmeas).

VEJA A GALERIA DE IMAGENS DO GP CRUZEIRO DO SUL – DERBY BRASILEIRO (G1)

por Fernando Lopes – fotos: Sylvio Rondinelli

Gostou da notícia? Compartilhe!