Francisco Eduardo e a dinastia dos Paula Machado | Jockey Club Brasileiro

Francisco Eduardo e a dinastia dos Paula Machado

Neste domingo, 1º de março, em mais uma oportunidade, o Jockey Club Brasileiro homenageia com a realização de uma prova de G1, a segunda da Tríplice Coroa de produtos, uma das figuras mais importantes da história do turfe no país, Francisco Eduardo de Paula Machado. Filho de Linneo de Paula Machado e Celina Guinle de Paula Machado, irmão de Cândido Guinle de Paula Machado e Linneo Eduardo de Paula Machado, tio de Lineu de Paula Machado, Francisco Eduardo seguiu a tradição de seu pai e dedicou toda sua vida ao engrandecimento do Esporte dos Reis.

Eleito presidente do Jockey Club Brasileiro em 1960, governou seus destinos por 24 anos, até 1984. Entre suas obras estão a conclusão do prédio da Avenida Presidente Antônio Carlos, no Centro da cidade do Rio de Janeiro, e a edificação da sede esportiva da Lagoa. Fino e educado, sua excepcional articulação política foi de grande valia para o Clube, em várias ocasiões, nas quais, providências de caráter governamental vieram ameaçar a independência da entidade.

Herdeiro das conquistas do maior criador nacional, Francisco Eduardo proferiu as palavras que sem dúvida estão presentes em cada vitória que os Haras São José & Expedictus obtêm: “As glórias deste dia pertencem inteiramente a meu pai, assim como tudo o que vier, daqui por diante, será sempre dele”. Francisco Eduardo manteve e promoveu o cuidadoso desenvolvimento do Haras São José & Expedictus, o que redundou em milhares de vitórias para as tradicionais sedas ouro e costuras azuis em várias provas clássicas em alguns dos maiores hipódromos do mundo.

Abaixo, apenas alguns dos resultados conquistados em pistas nacionais por defensores e animais criados pela família Paula Machado:

Sete vencedores do Grande Prêmio Brasil: Albatroz (43-44); Helíaco ) (foto à esquerda)(47-48); Orpheus (75); Aporé (79), Queen Desejada (2001) e Moryba (2010).

Seis vencedores do Grande Prêmio São Paulo: Santarém (29); Formasterus (36); Albatroz (44); Tibetano (79); Canzone (2001) e Cheikh (2004).

Vinte e quatro vencedores do Grande Prêmio Cruzeiro do Sul – Derby Brasileiro: Gatambu (16); Hurra! (17); J´Accuse (18); Nemo (23); Questor (26); Santarem (28); Tingua (29); Xenon (32); Tia King (35); Funny Boy (37); L’Atlantide (39); Criolan (42); Even Ready (44); Fontaine (45); Helíaco (47); Devon (63); Gomil (67); Orpheus (73); African Boy (79); Grison (85); Itajara (foto) (87); Vernier (98); Coray (2001) e Ivoire (2007).

Onze vencedores de Grande Prêmio Derby Paulista: Xyleno (31); Young (33); Veneziano (34); Funny Boy (36); Almicar (39); Big Shot (40); Carin (41); El Faro (43); Helíaco (46); Jabuti (48) e Ninho (51).

Vinte e quatro vencedoras do Grande Prêmio Diana: Primazia (25); Sem Medo (27); Tiara (28); Sapho (29); Therezina (30); Vendome (31); Valence (32); Huran (34); Biga (40); Fontaine (45); Finesse (47); Nyx (51); Okinawa (52); Pavuna (53); Turqueza (58); Valence (60); Althea (61); Jesamine (68); Ruban Bleu (75); Apple Honey (79); Fantasie (84); Virginie (98); Be Fair (2000); e Coray (2001).

por Fernando Lopes – pesquisa: Wikipédia e www.harassaojose.com – fotos: Livro Jockey Club Brasileiro 130 anos & www.harassaojose.com

Gostou da notícia? Compartilhe!